Paróquias
Adão, Ade, Albardo, Amoreira, Cabreira, Casal de Cinza, Castanheira, Cerdeira do Côa, Marmeleiro, Mesquitela, Miuzela, Monte Margarida, Monteperobolso, Parada, Porto de Ovelha, Pousade, Rochoso, Seixo do Côa, Valongo do Côa, Vila Fernando e Vila Garcia

segunda-feira, dezembro 24, 2007

Amantes de Deus e do Mundo


O dia de um nascimento é motivo para nos alegrarmos. Sempre que nasce alguém para este mundo todas as famílias se juntam e em conjunto fazem a festa do natal.

Os cristãos reúnem-se com alegria para celebrar todos os anos o nascimento de Jesus. Muitos são os sentimentos que preenchem a nossa alma neste momento do ano, mas os votos de paz, amor, hamonia e esperança para todos são os que mais preenchem as nossas bocas.

Mas sabemos que temos de ir muito mais além. Tudo o que desejamos temos de viver e de sentir, pois para oferecer e desejar é preciso saber o que se dá. Mais uma vez fica o convite para ti e para mim de fazermos do Natal de Jesus o momento das nossas vidas em que vivemos o que desejamos, em que sentimos o que oferecemos.

Não tenhamos medo de ser diferentes pela maneira como vivemos a fraternidade e o amor. São os presentes de Deus que todos temos de agarrar com força e assumi-los no dia-a-dia! Ser cristão é ser um eterno amante de Deus e do mundo!!!

Nasceu para nós,...
Ama-nos sempre...
Tem-nos nos seus braços...
Acolhe-nos no seu regaço...
Lembra-nos junto do Pai!...

Um Santo Natal neste dia e ao longo de todo o ano!
Feliz 2008 !

Pe Ângelo Martins

terça-feira, dezembro 04, 2007

Retiro Arciprestal do Advento 200 (2)

No passado sábado, dia 1 de Dezembro, fomos cerca de 25 pessoas de todo o Arciprestado do Rochoso, as que nos juntámos para reflectir um pouco acerca da: "Celebração da Fé nos Sacramentos de Iniciação cristã". Das 10h00m às 17h00m, no Salão Paroquial do Rochoso, houve um sentido de recolhimento, oração e convívio. Aqui fica uma breve reportagem fotográfica acerca do dia.



segunda-feira, novembro 19, 2007

Retiro Arciprestal do Advento 2007

Não nos podemos esquecer que no próximo dia 1 de Dezembro o nosso Arciprestado tem o retiro de preparação para o Advento e Natal. Aceitando o apelo do nosso bispo Diocesano de "Celebrar a fá na vida dos sacramentos e na Igreja", vamos percorrer em conjunto um caminho de reflexão de todos os Sacramentos e da sua consequência imediata na vida das nossas comunidades. "Celebrar a fé nos Sacramentos da Iniciação cristã", é este o tema do primeiro retiro. Entre as 10h00m e as 17h00m estaremos no Salão Paroquial do Rochoso em reflexão, oração e convívio. Organize a sua vida e venha ter connosco. A Formação é um instrumento na vida para nos tornarmos cada dia melhores e darmos conta de como podemso crescer na fé e na vida humana.

quarta-feira, novembro 14, 2007

Rezando


É importante fazemos a nossa oração por aqueles que precisam. Esta semana rezamos pelos nossos Seminários Diocesanos. Rezamos por todos aqueles que lá trabalham e por todos os que os frequentam, nunca esquecendo que eles contam connosco na partilha da oração de de bens.

Jesus Cristo,

Sacerdote único e eterno,

sois o Bom Pastor

que dá a vida pelas suas ovelhas.

Sois o mesmo ontem, hoje

e por toda a eternidade.

Só Vós dais sentido

à vida de cada um de nós,

só em Vós há fruto para a humanidade,

porque acreditar no Filho de Deus

é ter a Vida Eterna.


Vós confiastes à Igreja

o ministério sacerdotal

sacramento do Vosso Amor incondicional

ao Pai e aos irmãos.

Fazei dos nossos Seminários

sementeiras de Amor,

de serviço e de entrega radical

pelo Vosso Reino,

sinais de esperança

de um futuro de vida

em abundância para todos.


Confiamo-Vos

os nossos Seminários:

confirma nos dons do Espírito

os Bispos e demais formadores;

fortalecei e iluminai

no discernimento vocacional

os alunos;

enchei de generosidade

e espírito de serviço

os colaboradores que neles trabalham;

recompensai e abençoai

os seus benfeitores

que com a oração

e partilha de bens,

zelam pela missão de formação.


Por intercessão da Virgem Maria e de S. José,

concedei à vossa Igreja e ao mundo

os sacerdotes generosos e santos

de que precisam.

Amen.

segunda-feira, novembro 12, 2007

Mensagem de D. Manuel Felício, bispo da Guarda, para a Semana dos Seminários

Vamos celebrar, de 11 a 18 de Novembro, a Semana dos Seminários. O Seminário, que é o coração de cada Diocese, tem de merecer sempre especial atenção, pois nele se preparam os padres que, em nome de Cristo e marcados pelo Sacramento da Ordem, são colocados à frente das comunidades cristãs como seus pastores. Nós temos na nossa Diocese o Seminário Maior que, em colaboração com o Instituto Superior de Teologia, é a fonte imediata de onde saem os sacerdotes para a nossa Diocese; e, para alimentar o Seminário Maior com os candidatos necessários, em número e qualidade, temos o Seminário Menor e o Pré-Seminário ou Seminário em Família.

Mas todos nos sabemos que onde tudo começa é nas famílias e nas paróquias. Precisamos, por isso, que as nossas famílias e as nossas paróquias, os pais e as mães, os párocos, os catequistas, os Professores de Educação Moral e outros responsáveis pelos serviços paroquiais e pela pastoral sintam cada vez mais a urgência de promover as vocações sacerdotais. Este esforço de promoção das vocações sacerdotais dá continuidade a uma tradição muito sadia da nossa Diocese, que tem sido alfobre de muitas vocações sacerdotais, missionárias e religiosas tanto para o seu próprio Presbitério como para outras diocese do nosso país ou espalhadas pelo mundo.

Peço, por isso, a toda a nossa Diocese, nesta próxima Semana dos Seminários, principalmente o seguinte: oração mais intensa pelas vocações sacerdotais, pedindo insistentemente ao Senhor da messe que mande operários para a Sua messe; reforço do empenho na promoção destas vocações sacerdotais, em colaboração com os nossos Seminários Maior e Menor e com o Pré-Seminário ou Seminário em Família; colaboração material para a sustentação dos nossos Seminários, pois, convém recordá-lo, eles vivem só da colaboração das famílias dos seminaristas e da generosidade de toda a nossa Diocese.

Que Deus nos abençoe neste esforço sempre louvável de ajudar os nossos jovens a descobrir a beleza da sua vocação e, em particular, o encanto de ser padre num mundo que, apesar das suas indiferenças e, por vezes, algumas agressões à Fé, precisa, mais do que nunca, que lhe apresentemos o verdadeiro rosto de Cristo”.

terça-feira, novembro 06, 2007


O Peditório das Celebrações Dominicais
do dia 18 de Novembro
(XXXIII do Tempo Comum)
reverte a favor dos Seminários Diocesanos
(Maior da Guarda e Menor do Fundão).


Dê o seu contributo
para a formação dos sacerdotes
da nossa Diocese!

terça-feira, outubro 30, 2007

Porque buscais entre os mortos aqueles que Vivem?!




Assim foram interpeladas as mulheres (Lc.24) que iam visitar o túmulo do Senhor, naquela manhã de Páscoa.
Esta é a Palavra que repetidamente me ocorre à mente quando, nestes dias, tenho de responder, ao vivo ou por telefone, à pergunta: “Quando e a que horas é a romagem ao cemitério?”
O dia de Todos do Santos, por ser feriado e muitos ausentes poderem voltar às suas terras, vai-se identificando com o dia de “visita” aos nossos cemitérios.
Não há incompatibilidade mas, se acreditamos, é bom tomarmos consciência da diferença das coisas.
No dia de Todos os Santos celebramos a vitória de todos os nossos: aqueles que “combateram o bom combate, que terminaram a sua carreira, que guardaram a fé e, por isso, foram já coroados por Jesus Cristo, o Cordeiro pascal, Senhor da Vida. Dia de palmas e triunfo para os nossos, que nos deram e testemunharam a fé e os valores que nos fazem mais pessoas e filhos de Deus. Dia de olhar para a frente! Dia de Esperança pois eles nos aguardam! Dia de consolação, pois eles intercedem por nós! “Choremos antes por nós e nosso filhos…” pois eles já estão na Festa Eterna!
Preocupa-me é que, nesse dia, possamos dar mais importância à nossa saudade e aos restos mortais, do que à celebração da sua Ressurreição e Vida com Cristo. Lamentarei que alguns possam dar mais valor à Romagem que à Eucaristia – momento único que nos une a toda a Igreja: a que peregrina ainda na vida, a que amadurece e se Purifica, a que goza já da glória no Céu.
Que a fé nos ajude a não “contristar-nos como aqueles que não têm Esperança”(1Tes)… e a celebrar de forma diferente a nossa memória dos mortos – até no que diz respeito às velas e flores! - Pois, mesmo no dia seguinte, dia de Fiéis Defuntos, não é dia de luto e tristeza. É dia de mais íntima comunhão com aqueles que “não perdemos, porque apenas foram à frente”… que podem estar numa fase intemporal de purificação e aperfeiçoamento para entrar na plena comunhão com Cristo, para o que valem certamente a nossa oração e sobretudo a Eucaristia.
Que o Senhor lhes dê a Eterna Glória!
Que eles intercedam por nós e nos acompanhem!
Que nós sejamos fiéis ao Bem que nos testemunharam!
(Pe. António F.Coelho)

terça-feira, outubro 23, 2007

Vigília Missionária

Próxima sexta-feira, dia 26 de Outubro, pelas 21h00m será realizada uma Vigília Missionária com Adoração do Santíssimo Sacramento na Igreja Paroquial de Casal de Cinza. Com a iniciativa do Secretariado Diocesano das Missões, pretende-se assim proceder ao encerramento do Mês dedicado à oração pelas Missões e todos os missionários.
Podemos contar com a sua presença?

Celebrações Dominicais


Na zona oriental do Arciprestado contamos, ao começar este ano pastoral, com algumas novidades:

As paróquias de Valongo e Seixo passam agora a ser servidas também pelo Pe. António Fonseca Coelho, juntamente com o Diácono António Lucas Fernandes.

O sr. Pe. António Soita agora a repousar no Colégio da Cerdeira, com o serviço da sua capelania, vai também ajudar-nos aos Domingos.

Eis, pois a grelha possível, tendo em conta vários critérios e prioridades.
No Próximo dia 1 de Novembro, dia em que tantos naturais voltam às suas terras de origem, seguiremos já o horário previsto para o Dia Santo.
Pe. António Fonseca Coelho

quarta-feira, outubro 03, 2007

Rezando no mês das Missões


Poema de Santa Teresinha

Quereria percorrer a terra
E pregar o Teu nome, Jesus,
Ser Apóstolo em solo infiel
E plantar gloriosa a Tua cruz.


Só o Amor faz agir a Igreja,
Mas se o Amor se viesse a extinguir
Os Apóstolos não anunciariam
Nem os mártires a vida dariam.


Compreendi que o Amor encerra,
Em si mesmo, todas as vocações.
Compreendi que o Amor é tudo,
Que abarca os tempos e os lugares.


Encontrei finalmente o meu lugar
Fostes Vós, ó meu Deus, que mo destes:
No coração da Igreja, minha mãe,
Eu serei o Amor!

E assim serei tudo!


CD “Viver de Amor”, Edições Carmelo

terça-feira, outubro 02, 2007

Pe. Amadeu Leal

Faleceu no Sábado 22 de Setembro, no Lar do Rochoso, onde vivia há 10 anos. Apesar da sua debilidade e crises, conservou sempre bastante lucidez, o que lhe permitiu concelebrar a Eucaristia até á vèspera da sua morte.
Passou quase toda a sua vida neste arciprestado, sobretudo nas paróquias de Pousade e Albardo. Foi sepultado em Pousade no Domingo dia 23 de Setembro.
Como Paulo: "combateu o bom combate...guardou e transmitiu a fé... que o Senhor lhe dê a coroa da glória".

quinta-feira, setembro 20, 2007

Padres têm que trabalhar mais por falta de novos sacerdotes

D. Manuel Felício reconhece dificuldades no recrutamento de vocações e na formação de padres, mas sublinha que não há sobrecarga .

A crise de vocações e a dificuldade na formação de novos padres na Diocese da Guarda “está a ser superada com a compreensão dos padres que se dispõem a mais trabalho”, disse ao Diário XXI o Bispo da Guarda. D. Manuel Felício reconhece dificuldades no recrutamento de vocações e na formação de padres, mas sublinha que não há sobrecarga de serviço na Diocese da Guarda, composta por 115 párocos para 371 paróquias. “Para fazerem o que faziam há 50 anos, estão sobrecarregados. Para fazer o que devem fazer, distribuindo por outros a co-responsabilidade, não estão sobrecarregados”, referiu D. Manuel Felício, à margem da inauguração de um centro paroquial, domingo, na Covilhã.
“Nós temos 371 paróquias, mas temos paróquias com 100 habitantes que não têm capacidade de se organizar. Portanto, haja cinco paróquias com 100 habitantes a funcionar como se fosse uma só e isso está bem”, afirmou. “Para nós haver muitos padres já não é a mesma coisa que era há 50 ou há 40 anos. O importante é que haja um número de padres razoável que nos permita garantir que as paróquias e grupos de paróquias funcionem com programas e serviços comuns”, reforçou o Bispo da Guarda.

RÁCIO NÃO ESTÁ DESAJUSTADO
“Nós estamos habituados a ter uma tradição que é a de atribuir a cada paróquia um pastor próprio, mas isso passou e nem seria bom que voltasse, porque tiraríamos a iniciativa a outros, nomeadamente aos leigos e a outros serviços”, acrescentou D. Manuel Felício. O bispo defende ser necessário “educar o nosso povo para voltar a sua atenção para o que é essencial”. Segundo refere, o rácio de párocos e paróquias “não está desajustado” realçando que a Diocese da Guarda precisa de muitos sacerdotes, “às vezes seis e sete”, para atender às necessidades de paróquias como as da Guarda, Seia e Fundão, que têm entre 15 e 30 mil habitantes. Nos últimos dois anos foram ordenados sete padres na Diocese da Guarda.

terça-feira, setembro 11, 2007

Nossa Senhora da Ajuda


7 e 8 de Setembro: dia de peregrinação ao Santuário de Nª Sª da Ajuda, na Malhada Sorda.
Continua a ser impressionante a quantidade de gente que aí acorre oriundos de toda a região e de diversas paróquias do nosso arciprestado. Em grande número a pé; crianças, jovens e adultos; até descalços e de joelhos, em alguma parte.
Afinal, um fenómeno religioso que não passou de moda, e continua a atestar que, neste mundo “somos um povo que caminha” para uma pátria que está mais Além e, de alguma forma, encontramos já representada em alguns lugares privilegiados que nos aproximam do Transcendente. Esse é o sentido das nossas peregrinações a qualquer santuário, ou até das nossas simples procissões festivas.
Importa é que nessas ocasiões encontremos um pouco mais do essencial: que a veneração de Maria, nos aproxime da adoração e seguimento de seu filho Jesus, o nosso Salvador. Esse é o pedido que tem feito em muitos lugares onde acreditamos que ela nos visitou; o mesmo pedido, aliás, que ela fez em Caná, quando, por sua intercessão, Jesus fez o primeiro milagre: “Fazei o que Ele vos disser.”
O mesmo Jesus que, em cada Domingo, bem perto de nós, se transforma e multiplica em Pão da Vida que, às vezes, tão poucos se incomodam em adorar e receber.
Que o sentimento e carinho por Maria sacuda a nossa razão para uma fé mais esclarecida e comprometida.
À vossa protecção nos acolhemos, Santa Mãe de Deus. Não “desprezeis” as nossas súplicas em nossas necessidades mas livrai-nos de todos os perigos, Ó Virgem gloriosa e bendita!”
(Pe. António Coelho)

quinta-feira, agosto 30, 2007

Reconstruir a igreja!




Reconstruir a igreja! Com este sonho,- "reconstrói a minha Igreja!"- iniciou Francisco de Assis a sua Obra. Julgando que Deus o chamava a reparar-reconstruir a capela de S.Damião, lançou mãos ao trabalho e foi percebendo que a Igreja a reconstruir é a Igreja-Povo-Pessoas - o que é bem mais difícil de fazer! Com o Evangelho vivido e pregado, na pobreza e humildade, fundou o movimento/Ordem franciscana que contribuiu para a renovação espiritual e social da Europa.

Nas nossas aldeias, o peso dos anos, aliado ao gelo do inverno e ao calor do verão, faz envelhecer os telhados... das igrejas, que ser torna necessário ir reparando ou substituindo.

Mais duas paróquias do arciprestado empreenderam este esforço: A Cerdeira e o Rochoso.Graças às poupanças de vários anos nas contas das paróquias, a saldos de algumas festas e a donativos particulares as obras arrancaram.

CERDEIRA .Estão a terminar obras de limpeza geral e pintura exterior bem como de substituição de uma parte do telhado da igreja paroquial. Igreja que também agora foi dotada de um novo sino -substituindo um rachado - e de um mecanismo automático de toque de sinos e horas.

ROCHOSO. Depois das obras já efectuadas este ano -como foi noticiado- resolveu-se avançar para a substituição do telhado e do tecto da capela mor. A vontade da Comissão da Igreja, dos mordomos cessantes da festa de S.Sebastião e do apoio da Junta de Freguesia foram unânimes.

POUSADE. Também a igreja desta terra foi alvo de restauro completo. Depois do retábulo do altar mor, pronto na Páscoa, está a ser repintado o tecto da capela mor, com os seus caixotões.

quinta-feira, agosto 16, 2007

Homenagens!

MIUZELA
Agosto é tempo de todas as festas, de homenagem-celebração a todos os santos.Já o sabemos. E os cartazes multiplicam-se e sobrepôem-se onde dão mais nas vistas.
Mas,neste passado dia 12 houve outras homenagens a homens mais próximos de nós no tempo e no espaço.

Às 15,30, na Miuzela lembrou-se a figura do Dr.José Pinto Peixoto. A Associação Cultural que tem o seu nome procedeu à entrega de prémios a várias crianças do ensino básico, pelos seus trabalhos sobre o pão.
A Associação, dirigida pelo sr.General Augusto Monteiro Valente, está em vias de iniciar a construção da sua sede e Casa de Cultura, para perpetuar a figura deste Professor e cientista, ao mesmo tempo que serve e promove a Miuzela e os miuzelenses.


Além da presença do representante da Sª Governadora Civil e do sr. Presidente da Câmara... destaca-se a presença do Rancho da Miuzela com o seu canto e encenações da vida tradicional.








PORTO DE OVELHA

No final das suas festas religiosas e populares, também Porto de Ovelha quis homenagear os sócios fundadores da sua associação cultural.

Nesta homenagem aos homens da terra se enquadrou e destacou a presença do Sr. Procurador Geral da República, Sr. Dr. Fernando Pinto Monteiro, homem querido e "familiar" entre as suas gentes.

Em ambos os casos, Parabéns! Porque a ciência com a procura da verdade sobre as coisas; e a procura da justiça na sociedade, são caminhos altamente cristãos e caminhos concretos de santidade.

(Pe. António Fonseca Coelho -Pároco de Miuzela e Porto de Ovelha)





quinta-feira, agosto 09, 2007

Jubileu Sacerdotal

Foi há 25 anos que o sr.Pe. José Morais foi ordenado sacerdote na diocese de Évora. Diocese cujo clero é, em boa percentagem, da nossa diocese e da nossa região.
Nos seus Seminários se formaram, antes da "democratização do acesso ao ensino", muitos jovens da nossa região raiana que se consagraram no sacerdócio ou seguiram outras carreiras na sociedade.
O Pe. José Morais é pároco de Montemor o Novo e, desde há muitos anos, Professor e especialista na área teológica de Sagrada Escritura.
Desde há muitos anos tem promovido, nas férias de verão. um dia de encontro-convívio entre os sacerdotes da região, na "quinta" da família, junto ao rio Côa.
Neste dia 8 de Agosto foi celebrada Eucaristia solene na Igreja da Miuzela; concelebrada por três dezenas de sacerdotes e presidida pelo sr. Bispo D.Manuel Madureira.
O almoço, fruto do empenhamento de toda a sua família, foi precisamente junto ao Coa.
Familiares, amigos,
de perto e de longe
estiveram presentes.

E,por fim,apareceu até
o Ranchinho da Miuzela que,
como sempre, encantou
e abriu o baile
para algumas modas
ao som do acordeão.
Felicidades, Pe. José,
para continuar a servir
o povo de Deus!

segunda-feira, agosto 06, 2007

Nomeações para os Serviços Paroquias e para os Serviços Diocesanos

Foi hoje publicado no site da Diocese da Guarda as nomeações para o ano pastoral 2007/2008. Relativamente ao Arciprestado do Rochoso destaca-se:

«Nomeações para os serviços paroquiais:
17. Diácono António Lucas Fernandes: cooperador pastoral para as paróquias de Valongo do Côa e Seixo do Côa, sendo Administrador Paroquial o Arcipreste Rev.do Padre António Fonseca Coelho.

Nomeações para os serviços diocesanos:

2. Pe Ângelo Miguel Nabais Martins: Director do Secretariado Diocesano das Missões. Agradece-se ao Rev.do Padre António Maria Nunes Branco Prado este serviço até agora prestado, do qual cessa funções»

Todos contam com a vossas orações para uma boa orientação segundo a vontade de Deus e com o auxílio do Espírito Santo.

terça-feira, julho 31, 2007

Fim de ano.

(Homenagem à Ir. Emelda)

O final de ano escolar costuma ser tempo de festas: para mostrar o que se aprendeu, cresceu e do que já se é capaz. E é visível e notável o que as crianças crescem de ano para ano. Para alegria dos pais e legítimo orgulho dos educadores.



Na "Casa de trabalho Jesus, Maria e José" (=Colégio do Rochoso) ... desde o infantário aos "meninos" mais idosos do Lar, todos fizeram festa... no palco ou no passeio!
Em terras tão sossegadas como estas é bom dizermos ao mundo que aqui ainda há vida! Vejam só:

(Os artistas "de fraldas"!)














(Finalistas do Infantário, os mordomos da Festa: Até já sabem dançar a valsa!!!)











(Passeio do Lar: regresso ao Portugal de outros tempos)



(Refrescando em água doce... enquanto se espera a Praia na Figueira)

terça-feira, julho 24, 2007

Perder tempo!

Neste domingo que passou, partilhei com os irmãos esta reflexão. Pela sua oportunidade aqui vo-la deixo.
Neste tempo de férias e num mundo de gente super-apressada e super-ocupada vale a pena reflectir sobre a atitude de Marta e Maria (Luc.10, 38-42).
Marta ao receber Jesus em sua casa, como boa dona de casa, apressa-se a servir, a pôr tudo em ordem..."não tem mãos a medir" para tanto que há a fazer, para acolher bem os seus hóspedes. Não perde tempo. Parece de louvar!
Maria, sua irmã, pelo contrário, “perde tempo” a ouvir Jesus, a dar conversa, a "não fazer nada".Até Marta se enerva e a repreende diante de Jesus. E, por estranho que pareça, Jesus louva Maria e chama a atenção a Marta: " Marta, andas inquieta e agitada com muita coisa, quando uma só é necessária. Maria escolheu a melhor parte!" Esquisito, não parece?!
Quem não descobre aqui o alerta e a denúncia de um dos graves problemas da nossa sociedade? Tudo medir pelo critério da actividade, do útil, do eficaz, do que dá resultado imediato, do que dá nas vistas. Do materialismo e activismo.
A caridade parece actividade para os tempos livres... que nunca há. O voluntariado e serviço gratuito parecem não governar ninguém. Rezar parece ser beatice estéril. O Domingo é demasiado curto para perder tempo com Deus. Consagrar-se a Deus e aos outros na vida religiosa, parece loucura!
E, no entanto, quem se atreverá a dizer que as horas de companhia silenciosa de dois namorados ou esposos, não são importantes para a suas vidas? Quem julgará inútil a companhia de alguma visita, num hospital, mesmo que silenciosa?
Onde está a razão da diferença?
Marta ocupava-se das coisas, das condições materiais, ainda que para Jesus; Maria procurou antes entrar em comunhão, em relação pessoal com Jesus, ouvindo-o, fazendo companhia. Escolheu a melhor parte.
Hoje a queixa é geral: falta tempo para a relação pessoal…na família, entre os amigos… ocupados como andamos, mais com as coisas do que com as pessoas.

Senhor: como a tua amiga Marta também nós hoje temos medo de perder tempo, de parecer ociosos e inúteis. Porque hoje, Senhor, é uma vergonha estar parado, fica muito mal não fazer nada.
Preocupamo-nos, enervamo-nos, desesperamos de estar quietos: temos de ocupar-nos ou de parecer ocupados.
Senhor, faz-nos compreender hoje que às vezes e por algumas coisas, vale a pena e é necessário perder algum tempo, para ganhar a Vida :
Perder algum tempo a contemplar o sol...para saber como é triste não ver a luz;
Perder algum tempo à sombra de uma árvore... para saber como é horrível o deserto e a terra queimada;
Perder algum tempo sentindo a frescura da água cristalina... para saber como é terrível a sede e a poluição;
Perder algum tempo a ouvir o silêncio da noite e da solidão... para compreender o que perco no barulho e agitação.
Perder algum tempo a contemplar a brincadeira da criança... para reaprender a ternura, a simplicidade e a capacidade de sonhar;
Perder algum tempo com um idoso ou doente... para descobrir o valor da saúde, da idade que tenho, da vida que Deus me deu.

quarta-feira, julho 18, 2007

Somos dignos de ser chamados cristãos?

Meditando o capítulo 10 do Evangelho de S. Mateus


Um simples desafio para a a consciência de cada um: sou digno de ser chamado cristão? Será que esta questão é despropositada ou, pelo contrário, torna-se cada vez mais pertinente?
O que é um cristão? É aquele que vai à missa todos os domingos? É o que reza o rosário todos os dias? É a pessoa que se lembra de Deus quando precisa? É quem se quer aproximar dos sacramentos pela razão do “sempre assim foi” ou então do “parece mal”? Será cristão aquele que remete a sua fé para segundo plano: hoje não rezei nada porque não tive tempo! Será cristão aquele que diz: “confesso-me directamente a Deus”? Afinal de contas: o que é ser cristão?
«
Quem der de beber um copo de água fresca a um destes pequeninos por sua condição de discípulo, eu vos asseguro que não perderá sua recompensa» (Mt 10, 42). Ser cristão é ser discípulo de Jesus! Ser discípulo na vida, na fé, nos gestos, nas atitudes e nas palavras. Ser discípulo de Jesus é participar na vida da comunidade, é tornar pessoais os problemas que estão na casa do vizinho. Ser discíplulo de Jesus é ler, ouvir, reflectir, compreender e viver a Palavra de Deus. Ser discípulo de Jesus é viver a Ceia do Senhor com entusiasmo, alegria e de modo participativo. Ser discípulo de Jesus é contribuir para o crescimento de todos, trazendo sempre consigo um copo de água fresca , guardando-o como um tesouro preciosíssimo. Sendo assim, já estaremos no caminho para sermos dignamente chamados de cristãos. Que testemunho de cristão daremos se vivemos a fé como uma obrigação, com tristeza ou como um “fardo” por tradição?
Deus faz milagres em nós todos os dias: desde o nascer ao pôr-do-sol a vida e tudo o que nos envolve é o grande milagre que Ele nos oferece. Aproveitemos este milagre que Deus nos dá, é já um “pedacinho de céu”!
O mundo precisa de cristãos mais comprometidos. Cristãos que querem assumir de alma e coração o ser discípulo de Jesus. É certo que somos humanos e por isso temos as nossas fraquezas e vamos errando, mas é importante nunca desistir e não baixar os braços. Ser cristão é ser discípulo de Jesus em todas as dimensões que a palavra “discípulo” pede, exige e trás em si mesma.

Pe Ângelo Martins

quinta-feira, junho 28, 2007

Ordenações


No próximo Domingo, pelas 16h00m, na Sé da Guarda vai ser ordenado um novo sacerdote, de seu nome, Rui Miguel Manique Nogueira. É um momento importante para toda a comunidade Diocesana e para toda a Igreja. Os sacerdotes são um dom maravilhoso que Deus concede às comunidades cristãs. Com ele será ordenado um Diácono, Gilberto Antunes, e também será feita a instituição de um acólito, Valter Duarte, e de dois leitores, Hugo Martins e Luís Miguel. A todos eles a nossa oração e o nosso bem-haja por escutarem e dizerem Sim ao chamamento de Deus.

terça-feira, junho 19, 2007

Peregrinação interparoquial


51 Cristãos da Miuzela, Cerdeira, Parada, Rochoso, Pousade, peregrinaram neste Sábado, dia 16, ao Santuário Nacional do Coraçao de Jesus, no Monte de Santa Luzia, em Viana do Castelo.
A motivação inicial foi a celebração do 125º aniversário da criação da Associaçao do Apostolado da Oração na Miuzela: movimento de piedade e apostolado que tanto tem contribuído para a vivência da fé nas nossa paróquias.

Passámos por Balasar, onde rezámos junto ao túmulo da Beata Alexandrina, a apóstola da Eucaristia; visitámos a casa e o quarto onde ela sofreu durante tantos anos e sobreviveu, alimentando-se apenas da hóstia consagrada.



Celebrámos a Eucaristia da festa do Sagrado Coração de Jesus, que ocorrera no dia anterior, no Santuário do Monte de Sª Luzia; aí renovámos a consagração das nossa paróquias ao Amor de Jesus.
Depois de passearmos por Viana, visitámos Braga: Sameiro, Bom Jesus e centro da cidade.
O mau tempo foi superado pela fé, a amizade o convívio.

segunda-feira, junho 18, 2007

Pe. Sanches, faleceu!


O Pe. António Sanches, à direita do Pe.Ângelo, recém ordenado, há um ano atrás.




No passado dia 7 faleceu o sr. Pe. António Sanches, natural e residente na Ruvina.


Resistente, física e mentalmente, ainda aguentou o serviço paroquial até ao meio da Quaresma, nas 5 paróquias que tinha a seu cargo. Chegou à meta da Vida aos 93 anos. O Pai lhe dará a Recompensa.
Foi sepultado na Ruvina, sua terra.



Desde 1949 foi pároco de várias aldeias da nossa região, entre as quais a Miuzela e Porto de Ovelha (de 1949-1955)


Mais paróquias ficaram sem pastor, entre elas duas do nosso arciprestado: Seixo e Valongo.


Mais um dado para repensar o nosso tipo e vivência de fé. Mais um apelo ao empenhamento de todos os cristãos, a serem pedras vivas e responsáveis na construção e renovação da Igreja que somos todos nós!

quarta-feira, junho 13, 2007

A.S.T.A - Cabreira


Festa na ASTA -Associação socio-terapêutica de Almeida - na Cabreira
Foi já... há alguns dias: no fim de semana de 2 e 3 de Junho. Mas a notícia não podia ficar esquecida. Uma festa, um programa, que envolveu muitas aldeias vizinhas da Cabreira e outras mais longínquas.
Amigos, admiradores, familiares de utentes, visitantes, associações diversas participaram na festa-"feira" anual da ASTA



Associação que considera e faz Gente,


jovens "desengonçados" física e mentalmente...




Que brincam e dançam com a

pura alegria que vem da inocência!



















Um grupo de música antiga,medieval, que nos fez voar a outros tempos!


Um ranchinho encantador de promessas,
de gente de palmo e meio que ainda mora por cá.





E, claro, o Conjunto da casa a encerrar a tarde.Aplaudido! Com... "só mais uma" e depois "mais outra"!

















PARABÉNS, ASTA! Que Deus ilumine e abençôe a quantos nela trabalham!


































sexta-feira, junho 01, 2007

Funerais

FUNERAL CRISTÃO
Há muitas formas de celebrar os funerais. Entende-se que um funeral católico é para os fiéis católicos. Por isso, é bom estarmos preparados para outros rituais fúnebres para quem não tinha nem vivia a fé católica. Por coerência e até por respeito à vontade, manifesta em vida, talvez alguns funerais não devessem acontecer como os fazemos… para não “obrigar” ninguém, depois de morto, a “gramar” o que em vida não quis. A Igreja católica não é, um departamento estatal, público, para os assuntos religiosos ou funerários!
Mas, importa sobretudo valorizar e purificar a celebração da morte dos nossos familiares, antes que se banalize ou seja absorvida pela onda comercial e "neo-pagã" que nos invade.
-Vale a pena relembrar que a morte se prepara vivendo santamente. Ainda estarão todas as famílias cristãs preocupadas pela saúde espiritual sua e dos seus idosos e doentes, sugerindo-lhes e proporcionando a celebração do sacramento da Unção dos doentes, da Reconciliação e da Comunhão!?

- Porque no dia do funeral dos nossos não temos grande ocasião de pensar, vale a pena ir lembrando alguns pormenores:
- Ninguém deverá estranhar que num funeral cristão se cante. De estranhar é não o fazer. Cantar é "rezar duas vezes", é manisfestação da nossa Esperança e até, psicologicamente, um remédio para a nossa pena.
- Durante a Missa exequial o caixão esteja fechado: por razões de higiene e saúde; de espaço, em muitos casos; de maior atenção à Eucaristia e ao altar; para, logo após a Missa, seguirmos com o funeral e não interrompermos a oração com despedidas que repetimos no cemitério.
- Na Eucaristia, façam um arranjo floral belo mas simples – e não flores “a monte”. Até para não haver “distinção” social das pessoas. Há capelas onde o espaço é pouco e por vezes o cheiro e o pólen incomoda algumas pessoas. Alguns ramos sejam guardados noutra parte ou na carrinha funerária.
-Quantas vezes, pelo seu exagero e ausência de consequências, não serão sinais de pouca fé?? Quem crê sabe, que além e mais do que o gesto exterior das flores, podem ajudar os nossos falecidos: o bem que fazemos; a nossa oração mais intensa; a nossa conversão e crescimento na fé; a nossa comunhão Eucarística e a caridade fraterna.
- Há terras onde, em vez de flores, muitos amigos oferecem uma importância em dinheiro, para ser aplicada em Missas, em esmolas… É menos visível… "mas o Pai, que vê no segredo, te dará a recompensa”. Pode ser mais uma alternativa!
- A caminho do cemitério vamos rezando e cantando, testemunhando a nossa fé na Vida eterna. De preferência à frente da carrinha, para rezarmos juntos.
E, no cemitério, terminamos primeiro a oração pelo irmão que sepultamos, antes de visitar outras campas.

7º Dia ?? 30º Dia ?? São sobretudo datas significativas para nós, não tanto para os nossos falecidos, que já não vivem no tempo de calendário. São datas de conveniência e tradição para nós: são aniversários semanais, mensais ou anuais,para melhor recordarmos os nosso defuntos: para os sufragar a eles e pedir-lhes que eles intercedam por nós.
(O arcipreste.)

segunda-feira, maio 28, 2007

Festa no colégio!


Em 1924, nesta casa, nasceu a Liga dos Servos de Jesus,-Instituto de S.Miguel - fruto do carisma de D.João de Oliveira Matos e da família Dinis da Fonseca. Uma obra de inegável valor religioso e social, para a diocese e para muita gente em todo o país.

Hoje o "Colégio do Rochoso" continua a acolher e a ser lar de algumas dezenas de crianças e jovens, apoio e substituto de muitas famílias... além das valências de infantário e lar de idosos.
Crianças que, com muitas outras, recolhidas cada dia em várias localidades das redondezas, aqui frequentam a escola "Primária"...
Adolescentes que frequentam as aulas no Colégio da Cerdeira - hoje já aberto a alunos externos, e misto- e, quando jovens, prosseguem estudos na Guarda ou outras escolas superiores ou de ensino profissional.
Neste Domingo foi a festa dos pais. Dos que frequentam a Escola do 1º Ciclo; e das alunas que aqui vivem.
Um melodioso Olá!... ao mundo e ao futuro!






O canto e a dança: a melhor expressão da beleza e da juventude. O melhor veículo para uma mensagem de vida e esperança!

Todos iguais na diferença de cada um!

"Segue a tua estrela! Vai até onde o sonho te levar! Um dia o alcançarás, se acreditares em ti.
Segue a tua luz! Não apagues a chama que há em ti. E, no fundo, estai certos: que eu acredito, nós acreditamos em ti, em vós!" ( Il Divo)


domingo, maio 20, 2007

Pentecostes, na Sª do Monte!

Domingo, 27 de Maio é Domingo de Pentecostes.
Os cristãos da Cerdeira ...e - quem mais quiser associar-se - celebram o dia na capela da Senhora do Monte. Rezando e festejando Santa Ana.
Terço e Eucaristia às 16,30.




Num mundo seco, moribundo, pela falta de valores, pela "cultura da morte" ...



... o Pentecostes- a vinda do Espírito Santo - é Fonte de Água viva: " Se alguém tem sede venha ter comigo e beba..." (Jo.7,37)

"Lavai nossas manchas / a aridez regai /sarai os enfermos / e a todas salvai."




Cerdeira peregrina!

Tarde de 20 de Maio: uma breve mas agradável e frutuosa peregrinação até à Senhora do Monte!

No final da Semana da vida. A vida mais forte que a morte... como o atesta o castanheiro que teima em viver, apesar do fogo que o consumiu.
A Vida humana, que é caminho para a plenitude, no Além ... como nos garante a festa da Ascensão do Senhor.


No caminho não faltavam flores para oferecer à Mãe de Deus.
Mas as melhores flores foram elas... as crianças.



A fé vence montanhas, dá força às pernas cansadas pela idade.





Arrancámos da Igreja paroquial.





Rezando e cantando a Nossa Senhora, aquela que gerou o Autor da vida, Jesus... para que o nosso mundo ame, respeite, cultive a vida, o primeiro dom de Deus.