Paróquias
Adão, Ade, Albardo, Amoreira, Cabreira, Casal de Cinza, Castanheira, Cerdeira do Côa, Marmeleiro, Mesquitela, Miuzela, Monte Margarida, Monteperobolso, Parada, Porto de Ovelha, Pousade, Rochoso, Seixo do Côa, Valongo do Côa, Vila Fernando e Vila Garcia

terça-feira, outubro 30, 2007

Porque buscais entre os mortos aqueles que Vivem?!




Assim foram interpeladas as mulheres (Lc.24) que iam visitar o túmulo do Senhor, naquela manhã de Páscoa.
Esta é a Palavra que repetidamente me ocorre à mente quando, nestes dias, tenho de responder, ao vivo ou por telefone, à pergunta: “Quando e a que horas é a romagem ao cemitério?”
O dia de Todos do Santos, por ser feriado e muitos ausentes poderem voltar às suas terras, vai-se identificando com o dia de “visita” aos nossos cemitérios.
Não há incompatibilidade mas, se acreditamos, é bom tomarmos consciência da diferença das coisas.
No dia de Todos os Santos celebramos a vitória de todos os nossos: aqueles que “combateram o bom combate, que terminaram a sua carreira, que guardaram a fé e, por isso, foram já coroados por Jesus Cristo, o Cordeiro pascal, Senhor da Vida. Dia de palmas e triunfo para os nossos, que nos deram e testemunharam a fé e os valores que nos fazem mais pessoas e filhos de Deus. Dia de olhar para a frente! Dia de Esperança pois eles nos aguardam! Dia de consolação, pois eles intercedem por nós! “Choremos antes por nós e nosso filhos…” pois eles já estão na Festa Eterna!
Preocupa-me é que, nesse dia, possamos dar mais importância à nossa saudade e aos restos mortais, do que à celebração da sua Ressurreição e Vida com Cristo. Lamentarei que alguns possam dar mais valor à Romagem que à Eucaristia – momento único que nos une a toda a Igreja: a que peregrina ainda na vida, a que amadurece e se Purifica, a que goza já da glória no Céu.
Que a fé nos ajude a não “contristar-nos como aqueles que não têm Esperança”(1Tes)… e a celebrar de forma diferente a nossa memória dos mortos – até no que diz respeito às velas e flores! - Pois, mesmo no dia seguinte, dia de Fiéis Defuntos, não é dia de luto e tristeza. É dia de mais íntima comunhão com aqueles que “não perdemos, porque apenas foram à frente”… que podem estar numa fase intemporal de purificação e aperfeiçoamento para entrar na plena comunhão com Cristo, para o que valem certamente a nossa oração e sobretudo a Eucaristia.
Que o Senhor lhes dê a Eterna Glória!
Que eles intercedam por nós e nos acompanhem!
Que nós sejamos fiéis ao Bem que nos testemunharam!
(Pe. António F.Coelho)

terça-feira, outubro 23, 2007

Vigília Missionária

Próxima sexta-feira, dia 26 de Outubro, pelas 21h00m será realizada uma Vigília Missionária com Adoração do Santíssimo Sacramento na Igreja Paroquial de Casal de Cinza. Com a iniciativa do Secretariado Diocesano das Missões, pretende-se assim proceder ao encerramento do Mês dedicado à oração pelas Missões e todos os missionários.
Podemos contar com a sua presença?

Celebrações Dominicais


Na zona oriental do Arciprestado contamos, ao começar este ano pastoral, com algumas novidades:

As paróquias de Valongo e Seixo passam agora a ser servidas também pelo Pe. António Fonseca Coelho, juntamente com o Diácono António Lucas Fernandes.

O sr. Pe. António Soita agora a repousar no Colégio da Cerdeira, com o serviço da sua capelania, vai também ajudar-nos aos Domingos.

Eis, pois a grelha possível, tendo em conta vários critérios e prioridades.
No Próximo dia 1 de Novembro, dia em que tantos naturais voltam às suas terras de origem, seguiremos já o horário previsto para o Dia Santo.
Pe. António Fonseca Coelho

quarta-feira, outubro 03, 2007

Rezando no mês das Missões


Poema de Santa Teresinha

Quereria percorrer a terra
E pregar o Teu nome, Jesus,
Ser Apóstolo em solo infiel
E plantar gloriosa a Tua cruz.


Só o Amor faz agir a Igreja,
Mas se o Amor se viesse a extinguir
Os Apóstolos não anunciariam
Nem os mártires a vida dariam.


Compreendi que o Amor encerra,
Em si mesmo, todas as vocações.
Compreendi que o Amor é tudo,
Que abarca os tempos e os lugares.


Encontrei finalmente o meu lugar
Fostes Vós, ó meu Deus, que mo destes:
No coração da Igreja, minha mãe,
Eu serei o Amor!

E assim serei tudo!


CD “Viver de Amor”, Edições Carmelo

terça-feira, outubro 02, 2007

Pe. Amadeu Leal

Faleceu no Sábado 22 de Setembro, no Lar do Rochoso, onde vivia há 10 anos. Apesar da sua debilidade e crises, conservou sempre bastante lucidez, o que lhe permitiu concelebrar a Eucaristia até á vèspera da sua morte.
Passou quase toda a sua vida neste arciprestado, sobretudo nas paróquias de Pousade e Albardo. Foi sepultado em Pousade no Domingo dia 23 de Setembro.
Como Paulo: "combateu o bom combate...guardou e transmitiu a fé... que o Senhor lhe dê a coroa da glória".