Paróquias
Adão, Ade, Albardo, Amoreira, Cabreira, Casal de Cinza, Castanheira, Cerdeira do Côa, Marmeleiro, Mesquitela, Miuzela, Monte Margarida, Monteperobolso, Parada, Porto de Ovelha, Pousade, Rochoso, Seixo do Côa, Valongo do Côa, Vila Fernando e Vila Garcia

sexta-feira, março 28, 2008

Para saber um pouco mais acerca do Crucifixo de S. Damião (1)

Foi por meio do Crucifixo de São Damião que Jesus falou a Francisco: Francisco, reconstrói a minha Igreja.

Um artista desconhecido, natural da Úmbria, pintou o crucifixo no século XII. Foi pintado num pano colado sobre madeira (nogueira).

Tem 1,90m de altura, 1,20m de largura e 12cm de espessura. O mais provável é que tenha sido pintado para ser posto no altar da Igreja de São Damião.

Em 1257, as Clarissas deixaram a Igreja de São Damião e foram para a de São Jorge, levando o crucifixo com elas. A cruz, cuidadosamente conservada por 700 anos, foi mostrada ao público pela primeira vez, na Semana Santa de 1957, sobre o novo altar da Capela de São Jorge na Basílica de Santa Clara de Assis.

A figura do Cristo

A figura central do ícone é o Cristo, não só por seu tamanho, mas também por ser o Cristo a figura luminosa que domina a cena e transmite luz para as demais figuras: Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida (Jo 8, 12).

Os olhos de Jesus estão abertos: Ele olha para o mundo que salvou. Ele vive e é eterno. A veste de Jesus é um simples pano sobre o quadril – um símbolo tanto do Sumo-sacerdote como de Vítima. O tórax e o pescoço são muito fortes. Atrás dos braços esticados do Cristo está seu túmulo vazio, representado pelo rectângulo preto.

quinta-feira, março 27, 2008

quarta-feira, março 26, 2008

Cruz de S. Damião na Diocese e do Arciprestado


É já no próximo domingo que chega à nossa Diocese o crucifixo de S. Damião. Aqui fica, em resumido, o programa:

Domingo 30 de Março - ENTRADA na Sé Catedral na eucaristia das 18h30, presidida por um Frade Menor Conventual de Viseu que “entregará” a Cruz à Diocese. Estarão representadas as comunidades Franciscanas da Diocese (Franciscanas de Nª Srª das Vitórias de Trancoso, Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, Concepcionistas ao Serviço dos Pobres, Ordem dos Franciscanos Seculares, todos estes do Fundão).
No final da celebração – é confiada a Cruz à comunidade religiosa das Irmãs Franciscanas de Nª Srª das Vitórias

De 30 de Março a 6 de Abril (domingo) – Presença da Cruz em Trancoso.

De 6 a 18 de Abril a Cruz passará pelas sedes de Arciprestado e Seminário Maior nesta ordem
6 – FIGUEIRA DE CASTELO RODRIGO (domingo)
7 - ALMEIDA (segunda-feira)
8 e 9 – ROCHOSO (terça-feira)
10 – SEMINÁRIO (quinta-feira)
11 - CELORICO DA BEIRA (sexta-feira)
12 – GOUVEIA (sábado)
13 – SEIA (domingo)
14 – PINHEL (segunda-feira)
15 – BELMONTE (terça-feira)
16 – SABUGAL (quarta-feira)
17 – PENAMACOR (quinta-feira)
18 – ALPEDRINHA (sexta-feira)

Sábado 19 de Abril – Passagem na Covilhã com intervenção do SDPV – Dia ADN para jovens – Procissão com a cruz da Igreja de S. Tiago para a Igreja de S. Francisco (Nª Srª da Conceição)

De 20 a 29 de Abril – Presença da Cruz no Fundão e Aldeia Nova do Cabo sob a responsabilidade das comunidades religiosas das Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição e Concepcionistas ao Serviço dos Pobres, colaboração da OFS (Ordem Franciscana Secular).

30 de Abril (Quarta feira) – DESPEDIDA da Cruz com uma Vigília de Oração na Sé Catedral da Guarda nessa noite (presidida pelo Sr. Bispo) e ENVIO para a Diocese de Lamego.

Está a ser preparado o programa que irá ser desenvolvido no nosso Arciprestado, mas fica, desde já a confirmação de que (uma vez que não pode passar por todas as comunidades) o Crucifixo de S. Damião vai passar por: 1. Castanheira (Pe Ângelo), 2. Amoreira (Pe Júlio), 3. Cerdeira (Colégio e Igreja Paroquial) (Pe Coelho), 4. Vila Fernando (Pe Ângelo), 5. Rochoso (Pe Coelho), 6. Santuário de Nossa Senhora da Póvoa - Casal de Cinza (Pe Ângelo) onde será entregue ao Seminário Maior da Guarda. Brevemente haverá mais novidades.

POR JESUS: SER MAIS E MELHOR

A Páscoa é a celebração cristã da Ressurreição de Jesus. Com a Sua Ressurreição celebramos também a nossa própria libertação das cadeias que nos amarram demasiado às coisas deste mundo. O mundo actual seduz-nos com uma variedade imensa de distrações que nos fazem esquecer por vezes o essencial da vida: VIVER!
A Páscoa não é simplesmente mais uma festa que todos celebramos no ano, mas é a verdadeira festa dos cristãos! Jesus veio ao mundo por amor. Pregou por amor,... viveu por amor,... sofreu por amor,... morreu por amor,... Ressuscitou por amor do Pai!
Muitos são os que querem recusar viver a vida, seja por medo, ou seja por “falta de tempo”. O Filho de Deus não se recusou viver a nossa humanidade: não teve medo e disponibilizou-se a tempo inteiro para nós. Qual é o tempo que dedicamos a fazer com que a nossa vida (boca, mãos, pés e todo o corpo) seja sua? Se Ele não teve medo de viver e de morrer, nós também não o devemos ter!
Na Ressurreição de Jesus encontra-se a alegria da vida terrena, mas também da vida eterna. Não passemos em “branco” mais uma Páscoa. Amemos Jesus como Ele amou “ os que estavam no mundo até o fim”. Amemos o próximo como a nós mesmos. Saudemos quem nos vira a cara. Aprendamos a perdoar como Ele perdou e pediu o perdão do cimo da árvore da vida: “Pai, perdoa-lhes, eles não sabem o que fazem”.
Somos cristãos verdadeiros e conscientes da nossa fé. Por isso sabemos bem o que fazemos! Façamos da nossa vida um maior e mais fiel sinal de Deus no mundo!

Pe Ângelo Martins

Com os votos de uma Santa Páscoa
na alegria de Cristo Ressuscitado!