Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2009

Conselhos Arciprestais

_________________________________________

A primeira Reunião de catequistas e seu Conselho Arciprestal deste novo ano pastoral 2009/2010 vai ser realizada

dia 17 de Outubro de 2009
às 10h00m
no Salão Paroquial do Rochoso
_________________________________________

O Primeiro Conselho Pastoral Arciprestal deste novo ano pastoral 2009/2010 vai ser realizado

dia 25 de Outubro de 2009
às 15h00m
no Salão Paroquial do Rochoso
_________________________________________

reflexo da peregrinação arciprestal

Imagem
PEREGRINAÇÃO ARCIPRESTAL AO SANTUÁRIO DE CRISTO REI

No dia 26 de Setembro, o Arciprestado do Rochoso peregrinou até ao Cristo-Rei. a saída foi bem cedo, mas valeu a pena pela oração feita, pelo convívio, pelo sentir de peregrinos rumo ao Santuário do nosso país dedicado a Cristo-Rei e ao seu Sagrado Coração. Depois de partirmos e de nos "unirmos" durante o pequeno-almoço, rumamos a Almada. Quando chegámos almoçámos de imediato. Às 13h00m celebrámos Eucaristia na Igreja do Santuário (nos pés de Cristo) e no Seu Coração confiámos o novo ano pastoral do nosso Arciprestado. No final da Celebração todos, de joelhos, nos Consagrámos ao Sagrado Coração de Jesus. Após este momento de oração subimos ao topo do monumento e podemos contemplar o grande abraço de Jesus, não só a Lisboa, mas a todo o Mundo.


Descemos e percorremos a Via-Sacra edificada ao redor do Santuário, tendo sempre o rio Tejo como pano de fundo. Foi um momento de oração intensa que se prolongou na Igreja de S. Nuno de …

Natureza humana?!

Imagem
“Nusquam”, pelo Teatro do Mar , Guarda 4/9/09

“Uma reflexão sobre a natureza humana; um retrato possível do homem contemporâneo na busca de si próprio e da sua razão de ser no mundo”.
Esta explicação do folheto levou-me à Praça Velha.
Foi um bom retrato de muito do que é o “homem contemporâneo”: solitário no meio da multidão; vivendo na sua “bolha”; representando o “seu” papel no “seu” palco, da “sua” vida; rotineira e caoticamente; o homem robotizado, mecanizado; o homem não “vertical” mas invertido, suspenso, sem raízes nem base segura; manipulado por mãos e forças ocultas – que não são Deus nem o destino, podem crer! – mas… o dinheiro, o poder ou a fama; e que termina … cadáver, lutando contra a morte num inútil espernear.
No final aplaudimos a arte dos actores, espero! Pois a última cena, na sequência das outras, deveria fazer-nos sair deprimidos, inquietos... se somos racionais e isso nos dá outro nível.



Atrás deste palco havia outro cenário: às escuras, silencioso, firme, vertical,…