Mensagens

A mostrar mensagens de Outubro, 2012

«atirou fora a capa, deu um salto e foi ter com Jesus» (cf. Mc 10,46-52) - XXX Domingo do Tempo Comum - B

Em que momentos na vida, tenho a coragem para atirar a capa para trás e de um salto ir ter com Jesus? Na figura do cego Bartimeu, encontra-se representada a acomodação, o conformismo e a estagnação da vida. Digo mesmo, da vida de muitos cristãos. Quantas são as vezes que por causa de prazeres pessoais e interesses mundanos não dou um salto para ir ter com Jesus? Quantas são as vezes que deixo que a minha forma de pensar e a minha vontade não sejam moldadas pelo anúncio da Boa-Nova? Estava este homem cego, Bartimeu, também conformado com as suas circunstâncias de vida e com a exclusão que a sociedade lhe impunha. Abandonado junto ao caminho, mas não plenamente esquecido porque pedia esmola, este homem dá conta de Jesus a passar e, de repente, deseja mudar a sua vida. De um conformismo e acomodação só seus, passa a uma entrega e a um encontro que mudam para sempre a sua vida. Se ele era sinal de acomodação, agora passa a ser sinal de diferença. “Jesus, Filho de David, tem piedade de mim

Horários de celebrações para o Ano Pastoral 2012/2013 - Pe António Coelho

Imagem

AVISO

Bom dia.
Depois do anúncio público sobre o encontro com todos os crismados que frequentaram as escolas de fé, no passado Domingo, não houve feedback suficiente para se realizar hoje. Assim fica sem efeito o encontro no Santuário de Nossa Senhora da Póvoa.
Feliz dia e não se esqueçam de fazer uma oração pelas Missões.
Pe Ângelo

“o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida pela redenção de todos” ( cf Mc 10,35-45) XXIX Domingo do Tempo Comum - B

Intervenção no Sínodo dos Bispos de D. António Couto, presidente da Comissão Missão e Nova Evangelização, no nosso país

Imagem
Fidelidade renovada (n.º 158) Igreja sinodal, próxima, fraterna e afectuosa
1. Viver «em sínodo» é a vocação e a missão da Igreja peregrina e paroquial, casa de família fraterna e acolhedora no meio das casas dos filhos e filhas de Deus, no belo dizer do Beato Papa João Paulo II, Catechesi tradendae [1979], n.º 67; Christifideles Laici [1988], n.º 26.
2. É também o retrato da Igreja-mãe de Jerusalém, saído da paleta de tintas do Autor do Livro dos Actos dos Apóstolos (2,42-47; 4,32-35; 5,12-15), que nos mostra uma comunidade cristã bem assente em quatro colunas: o ensino dos Apóstolos (1), a comunhão fraterna (2), a fracção do pão (3) e a oração (4), e com ramificações em todas as casas e em todos os corações. Trata-se de uma comunidade bela que, dia após dia, crescia, crescia, crescia. Não admira. Era uma comunidade jovem, leve e bela, tão jovem, leve e bela, que as pessoas lutavam por entrar nela!
Igreja da anunciação 3. A vocação e missão da Igreja não é coisa própria sua, …

Oração pela fé

Ano da Fé - Nota Pastoral de D. Manuel Felício (Parte II aV)

3.Transmitir a Fé num mundo secularizado Este Ano da Fé pede-nos também que procuremos formas de transmitir a outros, porventura baptizados mas mais ou menos esquecidos deste bem fundamental, de novo, a inquietação do encontro com Deus revelado na pessoa do Seu Filho único Nosso Senhor Jesus Cristo, ressuscitado e vivo no meio de nós.  De facto, nós sentimos que vivemos numa sociedade marcadamente voltada para  a resolução dos problemas imediatos, onde  às pessoas falta tempo e disponibilidade de energias para se fixarem nas dimensões mais importantes da vida; uma sociedade onde se  prometeu o Céu na terra e só a partir dos seus recursos materiais. O certo é que este Céu prometido nunca veio nem nunca virá, porque dele se retira o que é essencial à realização do ser humano – a sua relação com Deus e nele a gratuidade das relações humanas. Quando tudo na vida se subordina à satisfação de necessidades materiais e imediatas, onde as relações humanas, a começar pelas relações familiares, …

Missão para Nova Evangelização

Imagem

Ano da Fé - Nota Pastoral de D. Manuel Felício (Parte I e II)

Imagem
Cultivar e viver a Fé  num mundo  seduzido pela secularidade

1.O que pretende o Ano da Fé O Santo Padre Bento XVI convida-nos a viver o Ano da Fé desde este mês de Outubro até Novembro de 2013. É um convite sem trazer anexo qualquer programa especial, mas tão só para todos fazermos esforço no sentido de renovar e revitalizar a nossa fé em Jesus Cristo. Oportunidade deste convite é a celebração do cinquentenário do início do Concílio Vaticano II que, longe de ter perdido atualidade,  quando  lido e bem entendido, ou seja  sendo nós guiados por uma justa   hermenêutica, nas palavras do Papa, constitui, de facto, preciosa ajuda para a renovação da vida interna da Igreja, mas também para a  fecundidade  do seu diálogo e cooperação com o mundo (ver nº 5 da carta Porta Fidei). Por sua vez, querendo nós relembrar os conteúdos da nossa Fé e compreender mais profundamente o seu significado, sobretudo no resumo que dele nos faz o credo ou símbolo dos Apóstolos,  uma boa  ajuda no Ca…